Pérolas Negras disputam partida contra Seleção Brasileira de Artistas

A equipe sub-20 da Academia de Futebol Pérolas Negras realiza no próximo sábado (08), às 11h, uma partida contra a Seleção Brasileira de Artistas Planet Globe. A confraternização esportiva será no Estádio Fructuoso Fernandes, batizado como Campo do Portela, em Miguel Pereira. Uma boa oportunidade para troca de experiências e culturas.

O time haitiano é o mais novo filiado da Federação Carioca de Futebol. Como medida de apoio, deixará de considerar seus atletas estrangeiros nas competições. Depois de conquistar a Copa Alterosa, este mês de setembro, os Pérolas Negras desfrutam de férias e a escalação para a partida só será definida na próxima segunda-feira (03/10).

A escalação de artistas para a disputa ainda depende de gravações, como são o caso de Bruno Gissoni, Rafael Cardoso, Felipe Simas e Rafael Vitti. Estão confirmadas as presenças de Toni Garrido, Mc Smith, Francisco Vitti, Nicola Siri, Heitor Martinez, Márcio Kieling, Rafael Queiroz e João Vithor de Oliveira.

Segundo o técnico dos Pérolas Negras, Rafael Novaes, a equipe haitiana está empolgada para disputar o jogo. “A transferência de aprendizado agrega muito ao processo de evolução do atleta. Toda experiência adquirida será fundamental na vida esportiva e também pessoal”, diz.

O Planet Globe surgiu há 10 anos, a partir de uma tabelinha entre seus fundadores, Marcos Palmeira, Nuno Leal Maia e Guaraci Valente, o Gaúcho, técnico e presidente da seleção. O time disputou o campeonato mundial de artistas por quatro vezes e é bicampeão.

Confirme presença no evento aqui.

Serviço

Confraternização esportiva entre os Pérolas Negras e a Seleção de
Artistas Planet Globe
Local: Estádio Fructuoso Fernandes (Campo do Portela), na Rua General
Ferreira do Amaral, s/n, Miguel Pereira.
Data e horário: Sábado 08 de outubro, às 11h.

Ingresso: 1kg de alimento não perecível.

Seleção haitiana sub-17 vence Copa do Caribe 2016

A seleção haitiana de futebol sub-17 tornou-se ontem (25) campeã do Caribe. Ficou em primeiro em duas competições: segunda fase das classificatórias para o mundial à frente dos quatro classificados; e torneio entre estes quatro para definir o melhor do Caribe. Bateu a seleção de Cuba por 5 x 0.

O time vencedor sub-17 foi em sua maioria formado na Academia de Futebol Pérolas Negras no Haiti, construída pelo Viva Rio em 2010, nos arredores de Porto Príncipe, capital do Haiti. Agora, esta seleção nacional sub-17 vem continuar em Paty do Alferes a sua preparação para a eliminatória da CONCACAF (Caribe + América Central e América do Norte) para o campeonato mundial da categoria.

A partir de 2016, o Viva Rio abriu um espaço em Paty do Alferes para ser o centro de treinamento da categoria profissionalizante do Pérolas Negras, com o objetivo de ampliar as chances desses jovens, utilizando o espaço da Colônia Pérolas Negras para a formação e desenvolvimento desses atletas.

O time haitiano chegou ao Brasil em busca de oportunidades de progredir com o esporte fora do seu país, que apesar de ser o esporte mais popular da região, apresenta uma enorme deficiência de formação de atletas. No Brasil, eles ganham a chance de unirem o ensino com a prática do futebol e seguirem em busca do sonho de se tornarem profissionais.

(Texto: Renata Rodrigues | Fotos: Vitor Madeira)

É campeão! Pérolas Negras conquistam título da Copa Alterosa

Os Pérolas Negras conquistaram o título de campeão da Copa Alterosa, na manhã do último domingo (18), em Ubá, município de Minas Gerais. O time haitiano venceu o Sport Clube Aymorés na grande final, por 1×0, com gol do atacante Valdo, aos 45 minutos do segundo tempo.

Numa disputa acirrada, os dois times jogaram a final em condições de igualdade. Os Pérolas Negras fizeram a melhor campanha do torneio e permaneceram invictos, acumulando sete vitórias e quatro empates. Para o técnico da equipe, Rafael Novaes, a sequência positiva é resultado da dedicação de cada integrante. “Essa conquista é fruto do esforço de toda a equipe. Enfrentamos adversários fortes e vencemos as dificuldades. O jogo foi muito equilibrado, com todas as emoções que uma grande final tem direito. Nosso grupo evoluiu e ganhou muita experiência”, comemorou. Outra conquista do time foi a premiação do atacante Dorvilus Edmondo, eleito o artilheiro da competição, com oito gols.

A Copa Alterosa, iniciada em julho, reuniu equipes de alto nível e possibilitou aos atletas haitianos a oportunidade de jogar contra os grandes times da região. A participação neste campeonato e o desempenho alcançado é uma boa oportunidade para ser visto pelos olheiros do futebol e ter a chance de jogar em um clube brasileiro.

No mês de agosto, o Viva Rio e a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (FERJ) assinaram um Termo de Compromisso que garante que atletas refugiados no Rio de Janeiro passam a ser considerados brasileiros. Antes, eles só poderiam se enquadrar nas cinco vagas destinadas a estrangeiros nos times nacionais. Isso aumentou as possibilidades de atuação desses atletas nos clubes cariocas, e a expectativa é que a iniciativa seja aplicada em todo o país.

Clique aqui e veja a galeria de fotos dessa vitória!  | Foto: Vitor Madeira

Clique aqui e veja a galeria de fotos dessa vitória! | Foto: Vitor Madeira

 

Texto: Vívian Guimarães l Foto: Vitor Madeira

Pérolas Negras e Aymorés disputam final da Copa Alterosa

Pérolas Negras e o Sport Clube Aymorés disputam o título de campeão da Copa Alterosa no próximo domingo (18), às 10h30, no Estádio Afonso de Carvalho, em Ubá, município de Minas Gerais. O time fez a melhor campanha do campeonato e empatou a primeira partida da final no último final de semana.

Comandado pelo técnico Rafael Novaes, a equipe se prepara para uma partida difícil na final contra o Aymorés. “Esperamos um adversário fechado e isso torna o jogo mais complicado, mas os treinos foram intensos e produtivos e vão trazer um resultado positivo para a equipe dentro de campo”, garante. Novaes planeja manter a mesma escalação do time, que costuma marcar os adversários e finalizar as jogadas com precisão. “O objetivo é marcar um gol logo no início para ficarmos mais tranquilos,” planeja.

Nem mesmo a invencibilidade no campeonato e a sequência positiva de sete vitórias e quatro empates trouxe descanso para o time haitiano. A semana foi destinada a acertar os últimos detalhes táticos para que não tenham espaços para erros e para potencializar as qualidades da equipe. Os Pérolas Negras e o Aymorés disputarão a final em condições de igualdade. Se houver empate no tempo regulamentar, o título será decidido nos pênaltis.

O jogo será transmitido pela Rádio Difusora 1420 AM de São João Nepomuceno (MG). Para acessar o link e ouvir a partida que começa às 10h30 deste domingo, clique aqui.

Texto: Vívian Guimarães l Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

Pérolas Negras empatam e deixam decisão da Copa Alterosa em aberto

Em um duelo com arquibancada cheia e lances imperdíveis, a primeira partida da final da Copa Alterosa terminou com um empate de 0x0 entre os Pérolas Negras e o Sport Club Aymorés, na tarde do último sábado (10), no Campo do Avelar. O resultado deixou a decisão da final para a próxima semana.

Durante o primeiro tempo, o time haitiano dominou a partida e tentou buscar o melhor resultado, pressionando o adversário até o fim do jogo. O técnico da equipe, Rafael Novaes, avaliou positivamente a postura dos atletas no primeiro encontro. “Qualquer final de campeonato é difícil, mas nós mantemos a organização do time em campo. Estamos evoluindo a cada partida”, disse.

O resultado faz com que as duas equipes joguem pela vitória no próximo domingo (18), no estádio Estádio Afonso de Carvalho, em Ubá, município de Minas Gerais. Em caso de vitória, os Pérolas Negras conquistam pela primeira vez o título de campeão da Copa Alterosa. Se houver nova igualdade, seja por qualquer placar, haverá decisão nas cobranças de pênaltis.

A escalação do time foi: Pascal, Jakito (Davy), Oracius, Marlon, Simson (Elison), Anel (Valdo), Jako, Fenelon (Dodo), Dorvilus, Iago (Gabriel), Wabby.

Texto: Vívian Guimarães l Foto: Paula Mello

Pérolas Negras se preparam para final da Copa Alterosa

Classificados para a final da Copa Alterosa, os Pérolas Negras enfrentam o Sport Club Aymorés, no sábado (10), às 15h. O jogo de ida acontecerá no Estádio Esporte Clube Avelar, conhecido como Campo do Avelar, em Paty do Alferes, no Centro-Sul Fluminense. Desde o início do campeonato, o time não sabe o que é perder. Apesar de enfrentar um forte adversário nesta final, a sequência positiva dos jogos traz confiança à equipe haitiana, que segue em busca do título de campeão.

“O Aymorés é um adversário muito difícil, mas nós estamos trabalhando muito para enfrentá-los. Vamos procurar manter nossa organização e foco em campo, diminuindo as chances de erros”, garantiu o técnico da equipe, Rafael Novaes. O time sofre um desfalque: o meio-campo Washinton, um dos destaques das últimas partidas, não entra em campo por conta de uma lesão sofrida no último jogo. A equipe técnica ainda não confirmou quem assume o lugar do atleta.

Em um duelo tão equilibrado, qualquer detalhe pode fazer a diferença no resultado final. “Temos a vantagem de jogar dentro de casa, onde somos invictos e contamos com o apoio da torcida. Tudo isso fortalece o time e nós vamos aproveitar essa oportunidade,” acrescentou Novaes.

Texto: Vívian Guimarães l Foto: Paula Mello

Pérolas Negras estão classificados para Copa Alterosa

Os Pérolas Negras estão classificados para a final da Copa Alterosa. Mesmo com um empate de 2×2 contra o Champion F.C, o time conquistou a vaga para a final no último sábado (03), no Estádio Esporte Clube Avelar, em Paty do Alferes. Na próxima semana, a equipe vai em busca do título contra o Aymorés, o outro finalista, também em Paty.

Segundo o técnico da equipe, Rafael Novaes, apesar de não ter feito uma grande partida, o time conseguiu a classificação e fará de tudo para obter a vitória. “Vamos trabalhar duro essa semana para não repetir os erros do último jogo”. Rafael lembrou que os dois times de melhor campanha no campeonato se classificaram. “Será um jogo duro. Não podemos vacilar. É o único jeito de chegarmos mais tranquilos na segunda partida, em Ubá, casa do adversário”, salientou.

Os jogadores Simson e Jako marcaram os gols da partida. O resultado positivo, de 3×0, no último jogo, na casa do adversário, traz ainda mais confiança para a equipe. “Evoluímos muito desde o início do campeonato e estamos comprometidos em buscar os melhores resultados. O ritmo de jogo que temos apresentado em cada partida nos permite pensar desta forma”, avalia Novaes.

O time, trazido para o Brasil no final de 2015, começa a vislumbrar um novo horizonte. O Viva Rio e a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (FERJ) assinaram termo de compromisso nesta quinta-feira (01.09), uma garantia para que atletas refugiados no Rio de Janeiro passem a ser considerados brasileiros.

Rubem César Fernandes, diretor-executivo do Viva Rio, vê um futuro promissor para a iniciativa. “Se essa ideia prospera, pode virar um exemplo importante para o mundo”, especula.

Texto: Renata Rodrigues l Foto: Vitor Madeira

Perto da final da Copa Alterosa, Pérolas Negras encaram mais um desafio

Os Pérolas Negras disputam, neste sábado (03), às 14h, o segundo jogo da semifinal do campeonato sub-20, contra o Champion F.C, no Estádio Esporte Clube Avelar, mais conhecido como Campo do Avelar, em Paty do Alferes. Desde o início do campeonato, a equipe já marcou 22 gols, empatou duas vezes e não perdeu nenhuma partida.

O técnico da equipe, Rafael Novaes, confirmou que a escalação do time deverá ser mantida. O resultado positivo, de 3×0, no último jogo, na casa do adversário, traz ainda mais confiança para a equipe. “Evoluímos muito desde o início do campeonato e nós estamos comprometidos em buscar os melhores resultados. O ritmo de jogo que temos apresentado em cada partida nos permite pensar desta forma”, avalia.

O time, trazido para o Brasil no final de 2015, começa a vislumbrar um novo horizonte. O Viva Rio e a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (FERJ) assinaram termo de compromisso nesta quinta-feira (01.09) que garante que atletas refugiados no Rio de Janeiro passam a ser considerados brasileiros. Rubens Lopes, presidente da FERJ, considerou o evento um “momento histórico”, pela iniciativa ainda pioneira no estado e no país. “É a adoção de mecanismos que vão permitir a inclusão social e o futuro mercado de trabalho para os refugiados”, disse.

“Quero agradecer pela oportunidade de poder jogar como brasileiro”, resumiu Fenelon| Foto: Amaury Alves

“Quero agradecer pela oportunidade de poder jogar como brasileiro”, resumiu Fenelon

O atacante Fenelon Marckenson, 18 anos, o meio-campo Anel Jean Louis, 17, e o zagueiro Oracius Wilmond, 19, dos Pérolas Negras, eram só sorrisos durante o evento na FERJ. Antes, eles só poderiam se enquadrar nas cinco vagas destinadas a estrangeiros nos times nacionais.

2016_09_01_FERJ_Amaury AlvesAmaury Alves2768

A advogada Luciana Lopes da Costa, ao lado de Rubens Fernandes

A advogada Luciana Lopes da Costa, responsável pelo parecer que possibilitou a assinatura do documento, avalia que a iniciativa tem potência para contaminar o país. “A expectativa é que ganhe uma projeção nacional. A Fifa já disse que se interessa por isso”, fez coro Rubem César Fernandes, diretor-executivo do Viva Rio. “Se essa ideia prospera, pode virar um exemplo importante para o mundo”, completou.

Texto: Vívian Guimarães l Fotos: Amaury Alves

Atletas refugiados no Rio passam a ser brasileiros

Um novo horizonte começa a despontar para os atletas refugiados no Rio de Janeiro. A assinatura de um termo de compromisso nesta quinta-feira (01.09) entre o Viva Rio e a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) passa a considerá-los brasileiros. “É um ovo de Colombo”, festejou o diretor executivo do Viva Rio, Rubem César Fernandes.

A iniciativa, alcançada a partir da advogada Luciana Lopes da Costa, responsável pelas questões jurídicas dos Pérolas Negras, time de futebol criado pelo Viva Rio em 2008 formado por haitianos, tem potência para contaminar o país. “É algo louvável, de caráter social e humanitário. Que as boas práticas se multipliquem e sejam adotadas por outras federações”, afirmou o ministro do Trabalho, Guilherme Caputo Bastos, presente ao evento realizado na sede da Ferj, no Maracanã, zona Norte da cidade.

A advogada Luciana Lopes da Costa, ao lado de Fenelon Marckenson| Foto: Amaury Alves

A advogada Luciana Lopes da Costa, ao lado de Fenelon Marckenson| Foto: Amaury Alves

Fenelon Marckenson, 18 anos, participante da mesa; Jean Louis Anel, 17 e Oracius Wilmond, 19, dos Pérolas Negras, eram só sorrisos durante a assinatura do termo. O documento garante igualdade de condições entre atletas refugiados e brasileiros. Antes, eles só poderiam se enquadrar nas cinco vagas destinadas a jogadores estrangeiros nos times nacionais.  “Quero agradecer pela oportunidade de poder jogar como brasileiro”, resumiu Fenelon, com a simplicidade que lhe é peculiar.

Fenelon, participante da mesa representando seu time | Foto: Amaury Alves

Fenelon, participante da mesa representando seu time | Foto: Amaury Alves

Rubens Lopes, presidente da Ferj, considerou o evento um “momento histórico”, pela iniciativa ainda pioneira no estado e no país. “É a adoção de mecanismos que vão permitir a inclusão social e o futuro mercado de trabalho para os refugiados”, completou.  “A expectativa é que ganhe uma projeção nacional. A Fifa já disse que se interessa por isso”, fez coro Rubem César Fernandes, que comparou a atual situação dos refugiados no mundo à da Guerra Fria dos anos 60 e 70: “Se essa ideia prospera pode virar um exemplo importante para o mundo”.

Primeiro a falar e a sair, por conta de um compromisso, o embaixador Sérgio Canaes, subsecretário-geral de Cooperação Internacional, Promoção Comercial e Temas Culturais do Itamaraty, parabenizou a iniciativa “pelo acolhimento aos refugiados”.

O embaixador Sérgio Canaes elogiou o acolhimento aos refugiados | Foto: Amaury Alves

O embaixador Sérgio Canaes elogiou o acolhimento aos refugiados | Foto: Amaury Alves

O juiz do Trabalho, Ricardo Miguel, também participante da mesa, ressaltou que inclusão social é a expressão do momento, “e o esporte é o maior e melhor caminho para atingi-la”. Também entusiasmado com a iniciativa, o presidente do Tribunal Desportivo do Futebol do Rio, Marcelo Jucá, fez uma brincadeira: “espero não ver esses atletas no tribunal”. Com essa nova oportunidade, tanto os Pérolas Negras quanto os demais atletas refugiados dificilmente terão motivos para procurar esse tipo de assessoria jurídica.

Texto: Celina Côrtes | Fotos: Amaury Alves

 

Pérolas Negras vencem Champion F.C e ficam a um passo da final

Os Pérolas Negras deram um passo muito importante rumo ao título da Copa Alterosa. No último sábado (27), o time haitiano goleou o Champion F.C, por 3×0, no Estádio Henrique Dias Filho, em Rio Pomba, município de Minas Gerais. A partida foi válida pela disputa da semifinal da competição de base.

O atacante Washington, um dos destaques da partida, marcou o primeiro gol da equipe logo no início do jogo. Mesmo com a vantagem, a equipe haitiana não abriu espaço para o adversário e, na segunda etapa, fechou o placar com mais dois gols dos atacantes: Siemen e Dodô.

O técnico Wesley Lage, que atua ao lado de Rafael Novaes, destacou a atuação do time e garantiu que os treinamentos vão continuar sendo intensos. “Estamos muito felizes com a nossa evolução. Vamos continuar treinando para manter nosso desempenho, pressionando o adversário para garantir a vitória na próxima disputa”, esclarece.

No próximo sábado, às 15h, os dois times se enfrentam, no jogo de volta, no Campo do Avelar, em Paty do Alferes.

A escalação do time foi: Jerome, Elison (Bougon), Oracius, Jackito (Marlon) e Siemen. Anel, Washington, Fénélon (Jacko), Iago (Dodô) e Wabi (Valdo).
image

Texto: Vívian Guimarães l Foto: Vitor Madeira