Pérolas Negras jogam amistoso neste domingo

Recém chegados ao Rio de Janeiro, após uma campanha onde a torcida os elegeu os queridinhos da 47ª Copa São Paulo Junior, os Pérolas Negras, time sub-20 do Haiti,  jogam um amistoso neste domingo (17) contra o Portela Atlético Clube, agremiação azul e branca de Miguel Pereira, no sul fluminense.

A partida será às 14h na casa dos portelenses, o estádio Fructuoso Fernandes, em Governador Portela, distrito de Miguel Pereira. A entrada é gratuita.

Segundo o técnico Solon Jonattan, haitiano que acompanha a equipe há quatro anos, eles estão bem animados com a partida e têm treinado com afinco. “Foram destacados 23 jogadores para o amistoso. Fenelon Marckenson estará entre os três atacantes e Elien Gooly, no gol”, antecipou.

Os Pérolas estão confortavelmente instalados em um hotel fazenda no município vizinho a Miguel Pereira, Paty do Alferes, arrendado pelo Viva Rio para receber os atletas. A instituição apóia a equipe desde 2009, para dar oportunidades profissionais aos jovens que adoram futebol, em continuidade ao trabalho social iniciado em 2004 no país caribenho, a convite da ONU.

 

(Texto Celina Côrtes | Foto: Vitor Madeira)

 

Pérolas se despedem da Copinha e voltam ao Rio

Os Pérolas Negras se despedem da 47ª Copa São Paulo Júnior, a Copinha, com vitórias e derrotas. Claro que na última categoria estão os três escores negativos das partidas que jogaram, entretanto, os haitianos foram o time que mais despertou a simpatia dos torcedores. Além das sondagens que já começaram a pipocar de times interessados, eles voltam para o Rio com a possibilidade de participar do Campeonato Carioca, em maio.

As sondagens de interessados para os Pérolas já começam a pipocar| Foto: Vitor Madeira

As sondagens de interessados para os Pérolas já começam a pipocar| Foto: Vitor Madeira

Os Pérolas tiveram a sorte de se lançar no charmoso estádio da rua Javari, o  Conde Rodolfo Crespi, no bairro do Mooca, onde reza a lenda Pelé fez seu mais belo gol. Depois do esforço físico e emocional das partidas iniciais, porém, eles não tiveram um bom desempenho nesta quinta-feira (07), conforme admite o próprio técnico, o brasileiro Rafael Novaes. “Hoje eles sentiram um pouco, mas encerramos de forma digna. Mostraram muita força de vontade, fomos bem no campeonato”, avalia.

Para técnico, haitianos mostraram muita força de vontade | Foto: Vitor Madeira

Para técnico, haitianos mostraram muita força de vontade | Foto: Vitor Madeira

Na partida de estreia, contra o Juventus, no domingo (02), o gol de pênalti foi de Bebeto Muraille, batizado pelo pai em homenagem ao jogador homônimo, tricampeão de 1994. Na terça-feira (05), Camille Dany cabeceou o gol no rebote do pênalti contra o América Mineiro, batido por Fenelon Marckenson, cabisbaixo ao saber que acabava de perder o pai, que havia deixado hospitalizado no Haiti. E na saideira desta quinta-feira, o time perdeu de 2X0 do São Caetano.

Vitor-Madeira_Viva-Rio-3

Camille Dany cabeceou o gol no rebote do pênalti | Foto: Vitor Madeira

Depois do campeonato, os haitianos irão para o  Centro de Treinamento (CT) do Viva Rio, em Paty de Alfares, no Centro-Sul Fluminense, onde formarão uma equipe mesclada com atletas brasileiros para fazer uma vitrine, disputar os campeonatos locais e as melhores colocações nos times nacionais e internacionais.

VITOR-MADEIRA_07-4

Sábado os Pérolas vão para o CT do Viva Rio, em Paty do Alferes|Foto: Vitor Madeira

O apoio da #OmegaVivaRio à equipe haitiana foi a sexta ação da contagem regressiva social que a marca de relógios suíça, a cronometrista oficial das Olimpíadas, realiza no Brasil para os Jogos Olímpicos 201 em parceria com o Viva Rio. Até o início dos Jogos, 12 ações sociais que beneficiam crianças desde a primeira infância até a adolescência – de brinquedotecas a projetos de inserção no mercado de trabalho – terão recebido apoio.

Grupo Manga também contribuiu para os Pérolas na Copinha com os uniformes e a Penalty, com as chuteiras, luvas e outros equipamentos esportivos.

(Texto: Celina Côrtes| Fotos: Vitor Madeira)

 

Pérolas Negras já são sondados por vários times

Apesar de perder por 2 x 1 do América Mineiro, os Pérolas Negras fizeram um jogo competitivo, “de igual para igual”, como avaliou o técnico Rafael Novaes, e foram aclamados pelo público, que acabou torcendo pelo time haitiano. O gol de cabeça foi marcado por Camilly Dane no final do primeiro tempo, ao fazer o rebote do pênalti perdido por Fenelon Marckenson. “Alguns meninos já despertaram o interesse de vários times. Eles jogaram muito bem, foi um jogo de alto nível”, acrescentou Novaes.

O técnico Rafael Novas classificou o jogo como de alto nível|Foto: Vitor Madeira

O técnico Rafael Novas classificou o jogo como de alto nível | Foto: Vitor Madeira

A segunda partida dos Pérolas Negras na 47ª Copa São Paulo de Futebol Junior começou às 16h no Estádio Conde Rodolfo Crespi, do Juventus, na Rua Javari, no bairro paulista do Mooca. No domingo (3), eles também foram derrotados pelo mesmo placar pelo Juventus. Nesta quinta-feira (7) a equipe se despede da Copinha em partida com o São Caetano, às 14h.

 

Acompanhe toda a trajetória dos Pérolas Negras na copa São Paulo de Futebol Júnior

 

O atleta Fenelon Marckeson em ação | Foto: Vitor Madeira

O atleta Fenelon Marckeson em ação | Foto: Vitor Madeira

Os atletas desembarcaram no Rio de Janeiro no dia 31 de dezembro e vieram para ficar. Em São Paulo, eles estão provisoriamente instalados num Centro de Treinamento (CT) emprestado ao Viva Rio na Via Anhanguera, na capital paulista.

Os atletas quase dançam durante a partida | Foto: Vitor Madeira

Os atletas quase dançam durante a partida | Foto: Vitor Madeira

Depois do campeonato, os haitianos irão para o  Centro de Treinamento (CT) do Viva Rio, em Paty do Alfares, no Centro-Sul Fluminense, onde formarão uma equipe mesclada com atletas brasileiros para fazer uma vitrine, disputar os campeonatos locais e as melhores colocações nos times nacionais e internacionais.

O apoio da #OmegaVivaRio à equipe haitiana foi a sexta ação da contagem regressiva social que a marca de relógios suíça, a cronometrista oficial das Olimpíadas, realiza no Brasil para os Jogos Olímpicos 201 em parceria com o Viva Rio.

Até o início dos Jogos, 12 ações sociais que beneficiam crianças desde a primeira infância até a adolescência – de brinquedotecas a projetos de inserção no mercado de trabalho – terão recebido apoio.

O Grupo Manga também contribuiu com os uniformes e a Penalty, com as chuteiras, luvas e outros equipamentos esportivos.

 

(Texto: Celina Côrtes|Fotos: Vitor Madeira)

Pérolas Negras mostram garra contra o Juventus

Apesar do resultado adverso na estreia deste domingo (03), de 2 X 1 na partida contra o Juventus na Copa São Paulo de Futebol Júnior, a Copinha, os Pérolas Negras, do Haiti, única equipe estrangeira da competição, mostrou disposição para conquistar posição de destaque na disputa pelo título.

O estádio Conde Rodolfo Crespi, no bairro da Mooca, em São Paulo, com capacidade para três mil torcedores, estava lotado. Embora fosse a sede do time paulista, os haitianos também receberam a aclamação do público.

Com uma média de 18 anos, os 23 componentes da equipe sub-20 mostrou garra na partida inicial. Começaram tensos, tomaram um gol  no primeiro tempo e só  reagiram após o intervalo. O gol dos Pérolas, de penalti, foi marcado por Bebeto Muraille, camisa 05 do time haitiano, batizado pelo pai em homenagem a Bebeto, tricampeão de 1994. Os jovens atletas haitianos exibiram sobretudo força física e velocidade.

Bebeto Muraille, camisa 05, autor do gol de penalti | Foto: Vitor Madeira

Bebeto Muraille, camisa 05, autor do gol de pênalti | Foto: Vitor Madeira

O técnico, Rafael Novaes, continua confiante: “eles começaram tímidos e jogaram bem no segundo tempo. Se empenharam, estão muito motivados”, avaliou. Os atletas estão provisoriamente instalados num Centro de Treinamento (CT) emprestado ao Viva Rio na Via Anhanguera (ligação da capital paulista com Campinas), instituição que banca a agremiação em ação social para dar oportunidades aos jovens haitianos.

O técnico brasileiro Rafael Novaes aposta na garra dos Pérolas | Foto: Vitor Madeira

O técnico brasileiro Rafael Novaes aposta na garra dos Pérolas | Foto: Vitor Madeira

O time amador existe desde 2009 e fica sediado no bairro Bom Repos, na periferia da capital haitiana, Porto Príncipe. A equipe passou a ser apoiada pelo Viva Rio em 2011, após o terremoto que devastou o país. Com isto, o CT dos Pérolas ganhou uma estrutura capaz de hospedar 96 pessoas, que conta ainda com campos, vestiários , refeitório e piscina. Os atletas também recebem  aulas de idiomas e de história, entre outras disciplinas.

O time haitiano em campo para a partida inicial | Foto: Vitor Madeira

O time haitiano em campo para a partida inicial | Foto: Vitor Madeira

Fénelon Marckenson, 17 anos, o atleta de maior experiência da equipe (passou pelo Cruzeiro e hoje joga no Boa Vista, do Rio de Janeiro), sabe que a  competição pode mudar sua vida e a dos companheiros, cujo sonho é conquistar uma visibilidade que os leve a assinar futuros contratos com times brasileiros.

O primeiro e segundo colocados de cada grupo (os Pérolas estão no 28) avançam para a segunda etapa, disputada em partidas eliminatórias. A equipe de melhor campanha nas quatro fases seria o oitavo classificado. Daí em diante, ocorrem a seleção dos semifinalistas e finalistas.

(Texto: Celina Côrtes | Fotos: Vitor Madeira)

Pérolas Negras estreia domingo, 3 na Copa São Paulo de Futebol

Os Pérolas Negras, do Haiti, única equipe estrangeira da Copa de São Paulo, a Copinha, “vão jogar a vida em cada partida”, avalia o técnico brasileiro Rafael Novaes, sobre a competição que começa neste domingo (03), às 14h, no estádio Conde Rodolfo Crespi, no Mocca, em São Paulo.

Os atletas estão provisoriamente instalados num Centro de Treinamento (CT) emprestado ao Viva Rio, na capital paulista, instituição que banca a agremiação em ação social para dar oportunidades aos jovens haitianos. Para os novos uniformes, a equipe contou com o apoio da #OmegaVivaRio e Grupo Manga. As chuteiras, luvas e outros equipamentos foram doados pela Penalty.

Vitor-Madeira_Viva-Rio-19

Com idade média de 18 anos, o time amador existe dede 2009 e fica sediado no bairro Bom Repos, na periferia da capital haitiana, Porto Príncipe.

 

Acompanhe todas as novidades da Copa São Paulo de Futebol 2016

 

Vitor-Madeira_Viva-Rio-15

Pérolas Negras se preparam para a Copa São Paulo de Futebol | Foto: Vitor Madeira

Fenelon Marckeson, 17 anos, o atleta de maior experiência da equipe, sabe que a  competição pode mudar sua vida e a dos companheiros, cujo sonho é conquistar uma visibilidade que os leve a assinar futuros contratos com times brasileiros. Fenelon anseia ainda em ajudar o pai, internado no Haiti: “Precisamos de mais dinheiro para dar aos médicos”, argumenta.

O primeiro e segundo colocados de cada grupo (os Pérolas estão no 28) avançam para a segunda etapa, disputada em partidas eliminatórias. A equipe de melhor campanha nas quatro fases seria o oitavo classificado. Daí em diante ocorrem a seleção dos semifinalistas e finalistas.

 

(Texto: Celina Côrtes|Fotos: Vitor Madeira)

 

Pérolas Negras no Brasil

Os Pérolas Negras desembarcaram em São Paulo para disputar a Copa São Paulo de Futebol Júnior. Os jogadores estão provisoriamente instalados em um Centro de Treinamento (CT) localizado na capital paulista, e formarão uma equipe mesclada com atletas brasileiros para disputar os campeonatos realizados no país. A partir de 2016, todos passarão a fazer parte da competitiva vitrine de atletas que disputam as melhores colocações nos times nacionais e internacionais.

A equipe sub-20 de futebol haitiana dos Pérolas Negras será a única estrangeira a se apresentar na próxima Copa São Paulo de Futebol Júnior. A chamada “Copinha” será realizada entre os dias 2 e 25 de janeiro. Os atletas, com idade média de 18 anos, jogam dia 3 de janeiro, às 14h, no estádio considerado uma reserva moral do futebol de raiz de São Paulo: o Conde Rodolfo Crespi, na Mooca.